domingo, 21 de setembro de 2008

Se você quiser tomar banho de chapéu...



Estava pensando sobre várias coisas nestes dias e, em meio a uma tonelada de papéis, à leituras diversas sobre o tema que resolvi investigar, sobre as coisas que vejo na rua, sobre as imagens e também sobre este nosso espaço chamado "semeuhitlerfalasse".

Várias coisas me ocorreram, principalmente acerca da função que o mesmo desempenha, se é que este necessariamente uma função (ou muitas funções ao mesmo tempo, ou nenhuma função para alguns) e o que eu pude precisar é o fato de que, por mais que algumas pessoas tenham adotado este espaço como leitura recreativa, ou por mais que meu amigo Luis e minha amiga Karina (com os quais estou em dívida devido à correria que eu esteja vivendo no momento) se utilizem deste espaço - que nós mesmos nos presenteamos - para comentar algum fato que mereça algum enfoque, para fazer um desabafo, para idolatrar algum personagem que gostamos ou criticar o status quo que nos incomoda na sociedade, ou qualquer outro motivo qualquer, o que mais me agrada é o fato de não ter que fazer isso dentro de uma linha editorial e nem mesmo dentro de uma periodicidade.
Por que eu acho isso importante?

No que me diz respeito, principalmente pelo fato de o que eu escrevo só tem que ser fiel a mim mesmo e às coisas que eu acredito. Posso não concordar com a adulação a alguma celebridade por parte de um dos meus colegas, mas defendo o direito que estes tem de se expressar. Creio que desta maneira o diferencial deste espaço justifique-se na sinceridade dos textos aqui postados, textos estes que, embora algumas vezes possam proporcionar algum entretenimento, não encontram sua finalidade somente neste aspecto.

Creio que resida aí o elo de ligação prático acerca do tema da hipocrisia, proposto pelo Luis. Muitas vezes, por exemplo, gostamos – ou acreditamos gostar - de algo ou de alguém para que o olhar do outro não nos “julgue mal”, este fenômeno – que foi apelidado pelo velho do charuto como “superego” -, talvez seja um dos grandes entraves, pois quem entre nós não almeja ser aceito? Quem jogar a primeira pedra é mentiroso.

Talvez meu modo de ver as coisas seja o errado (ou até mesmo certo), mas dane-se é o meu modo de ver, minha ideologia e as coisas que eu acredito que estão em jogo. Por isso não importa o que você acredita, importa sim que você acredite em algo. E parafraseando ou outro velho destrambelhado, “eu quero dizer exatamente o oposto do que eu disse antes ...”

2 comentários:

minimus disse...

e o resto do mundo que se dane!.. mais ou menos.. =P

Dani Krugets disse...

Escrever sem compromisso é uma delícia!