quarta-feira, 14 de novembro de 2007

A gente sempre acorda na melhor parte...

Ainda esta semana, minha amiga Josie me mandou uma mensagem dizendo que tinha sonhado comigo. Era um sonho que, como a grande maioria dos sonhos, não fazia muito sentido. Mas me inspirou pra lembrar aqui de um sonho muito nonsense que eu tive uma vez.
Eu e meu amigo Juan estávamos num festival de bandas na ULBRA (???), onde tocaria uma série de bandas que provavelmente nem existem e algumas que existem de verdade, como a Eric Van Delic, da qual ele faz parte. O detalhe interessante é que pareciam aqueles shows de protesto da UFRGS: meia-duzia de estudantes com copos plásticos cheios de cerveja na mão, espalhados pela volta do palco, que era baixinho, mas até consideravelmente largo.
Estávamos então esperando pelo momento da Eric Van Delic subir no palco quando me dou conta de que uma das minhas bandas preferidas estava escalada para tocar. Os americanos do Vertical Horizon (era sonho, dá um desconto...) estavam prestes a subir ao palco e eu já estava a postos pra cantar junto todas músicas dos caras. Foi uma surpresa ótima e deveras absurda.
Eis que o vocalista da banda, Matt Scannel, sobe ao palco sozinho e avisa no microfone que vai fazer um show acústico, de banquinho, voz e violão, porque os outros membros da banda tiveram uma briga e não compareceram.
Antes de contar o que acontece, eu vou deixar uma pergunta no ar. Quem já não teve aquele sonho muito legal, que vai progredindo de maneira tão envolvente quanto um filme blockbuster, daqueles que te prendem com a ação e te fazem desejar nada menos do que descobrir o que vai acontecer em seguida, daí acorda sem a resposta?
Matt estava lá, sentado no banquinho no palco, olhando para aquele monte de estudantes com copos plásticos cheios de cerveja na mão e pronto para cantar sozinho aquilo que o Vertical Horizon faz tão melhor com banda. E foi aí que eu não pude deixar barato: fui à frente do palco e pedi para que Matt nem começasse. Chamei ele para perto e falei que eu e o Juan sabíamos tocar a maioria das músicas da banda (essa parte é verdade) e que o Juan, como multi-instrumentista que é (essa parte também é verdade) poderia tocar bateria e eu assumiria a outra guitarra e pronto: estava "formado" o Vertical Horizon pra animar a ULBRA (essa parte nunca seria verdade)!
Uma pena é que, antes que a gente pudesse executar o primeiro acorde, eu acordei...

4 comentários:

xandee1977 disse...

Bahhh que sonho doido, Pena que não deu tempo de dar nenhuma palhinha hehehe!

minimus disse...

só em sonho mesmo tu irias tocar na ulbra.. aeuhauehuah

L. F. Volkweis Filho disse...

É... porque a ULBRA é a parte mais absurda do sonho e não o Vertical Horizon... hahaha

deb disse...

que legaaaaaaaaaal!!!

pena q vcs ñ tocaram...

eu ñ tava junto?? claro q tava!! tu que ñ me viu!!! =P


bem, se te conforma...poderia ser pior...tu podia estar sonhando q ia comer a kristen bell e acordar no primeiro bjo..... heeheh